Brasil

BRASIL: Mulher leva morto ao banco para tentar sacar aposentadoria dele

Escrivão de polícia aposentado teria morrido cerca de 12 horas antes, segundo laudo

Em Campinas (Estado de São Paulo) a Polícia Civil investiga o caso de uma mulher (58 anos) que levou um idoso (92 anos) morto a uma agência do Banco do Brasil na tentativa de sacar o benefício dele. O caso aconteceu no dia 2 de outubro, e claro, o plano deu errado.

A mulher tentou entrar no banco levando o cadáver em uma cadeira de rodas.  Ao chegar na agência ela tentou ser atendida rapidamente dizendo que ele estava passando mal, os Bombeiros e o Samu foram acionados.

Chegando ao local os socorristas identificaram que o idoso estava sem sinais vitais, mas um deles percebeu que havia algo estranho: O idoso aparentava estar morto há mais tempo, devido ao estado cadavérico em que se encontrava e ao inchaço dos pés. A Polícia Civil foi acionada e a mulher assumiu a farsa.

Antes de assumir a culpa, a mulher informou que vivia com o idoso (um escrivão aposentado da polícia), há cerca de 10 anos e estava desempregada. E naquela manhã levou o companheiro ao banco porque era ela quem movimentava as contas dele, porém, alegou ter perdido a senha de letras do companheiro, com a qual receberia a aposentadoria.

Apesar das alegações, a mulher não apresentou nenhuma procuração que a autorizava a movimentar as contas do idoso. Questionada sobre a última vez que falou com ele, a mulher respondeu ter sido poucas horas antes de chegar ao banco, mas em outro momento acabou se contradizendo e afirmou ter falado com o companheiro pela última vez na noite anterior.

A polícia abriu um inquérito e o laudo apontou que o idoso morreu cerca de 12 horas antes da mulher levar seu corpo ao banco e que a causa da morte foi de forma natural. A mulher foi indiciada por estelionato e vilipêndio de cadáver [desprezar ou humilhar corpo].

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O banco do Brasil se manifestou em nota que usa recursos como identificação do cliente, por meio de senhas, além de cartão e biometria para “mitigar o risco de fraudes nos pagamentos de benefícios previdenciários”.

“O BB esclarece ainda que cumpriu com todos os protocolos no caso da ocorrência registrada em uma de suas agências em Campinas, o que inclui a apresentação de procuração ou a presença do beneficiário na agência”.

Com informações: Notisul

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios