REGIÃO: Moradores pedem cassação de prefeito após vídeo que contesta atestados médicos

Um vídeo publicado nas redes sociais do prefeito de Paranaíba, Maycol Queiroz, conhecido como “Maycol Doido” (PSDB), motivou moradores da cidade localizada a 180 km de Três Lagoas a pedirem a cassação do chefe do Executivo.

Segundo eles, a atitude de Maycol foi abusiva. Nas imagens feitas em julho deste ano, o prefeito mostra vários calhamaços de atestados. “O concursado fica mais doente que o contratado. Todas as cuidadoras do abrigo estão em estágio probatório apresentaram atestado. Quem é que vai ajudar a cuidar daquelas crianças lá?”, relata.

Ele cita nomes e funções de cada um dos servidores. “Quem é que vai cozinhar para as nossas crianças? Será que eu vou ter que ir lá? Ah, mas o serviço tá muito pesado? Então abandona o concurso ou vem aqui e pede para cancelar o contrato”, disparou Maycol.

O advogado Sindoley Luiz de Souza Morais foi um dos moradores que pediu a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) por quebra de decoro parlamentar.

“O prefeito tinha diversos mecanismos para usar, uma vez que na concepção dele, muitos atestados são irregulares. Poderia abrir procedimento administrativo, fazer denúncia no Ministério Público, Conselho de Medicina, mas não, ele busca uma rede social, faz um vídeo que tem quase 10 mil visualizações, para jogar a sociedade contra o servidor público”, justificou.

O morador de Paranaíba diz que a ação de Maycol, ao citar o nome dos servidores e chamá-los de charlatões, gera assédio moral. “Ele coloca incerta a idoneidade do servidor público. É quebra de decoro, em razão de abuso de autoridade. Dá entender que o servidor está com atestado falso, faz difamação”.

No documento apresentado na Câmara Municipal, foi anexado a carta da servidora da educação Pricila Fernandes dos Santos, que está afastada por problemas de saúde.

“A fala do prefeito me atingiu, sentir totalmente ofendida porque eu me encontrava realmente doente e ele expôs nós profissionais da educação como se fosse um bando de charlatão que vive de golpe para não trabalhar, eu sempre fui uma pessoa muito honesta e tenho uma reputação a zelar e com isso, me senti exposta ao ridículo pelo prefeito Maycol Queiroz”, lamentou.

A servidora também fez um vídeo mostrando exames e laudos, que ela disse ser a ‘mala de atestado’, citada pelo prefeito. “Hoje eu, Pricila, me encontro com vergonha de sair na rua e as pessoas me chamar de charlatona, minha doença regrediu minha delimitação aumento, pois devido o dano que ele me causou psicologicamente danificou todo meu tratamento. Através desse meu relato, venho pedir as autoridades maiores pedir socorro contra a tirania e desrespeito desse prefeito, pois somos seres humanos e não lixo para sermos tratados assim”, lamentou.

A reportagem entrou em contato com o presidente da Câmara Municipal, Edmar Pires da Silva Júnior, o “Dollar” (PSDB), que alegou não ter conhecimento do pedido de cassação até o início da tarde desta segunda-feira (4). Já o prefeito e a assessoria de imprensa da Prefeitura não atenderam e nem retornaram as ligações.

Com informações: Campograndenews

Receba Informações na Palma da Sua Mão