TRÊS LAGOAS: Alunos da Escola Joaquim Marques recebem visita de autor de livro que estudaram em sala de aula

Incentivo à leitura! Isso é o que resume e torna tão importante a culminância de um projeto realizado na Escola Municipal “Joaquim Marques de Souza” da Rede Municipal de Ensino (REME) de Três Lagoas, por meio da professora Graciele Silva e a equipe do Programa de Residência Pedagógica da Universidade Federal do Estado de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Após estudarem e fazerem diversas atividades sobre o livro “O lenço que queria ser”, as crianças do segundo ano do ensino fundamental puderam ter uma manhã de entrevista, roda de conversa e autógrafos com o próprio autor, o pedagogo de formação, hoje com 60 anos de idade, Cláudio Uehara, que foi convidado formalmente por meio de uma carta gigante criada pelos alunos.

Enquanto a residente Glenda Camila fazia a leitura do livro, o autor, usando um lenço azul, tema central do livro, fazia origamis que representava cada etapa da história, esbanjando simpatia e bom humor. Após a leitura, Uehara ensinou os presentes a fazerem um sapinho de origami de papel e assinou o livro com dedicatória para cada um dos alunos.

O diretor Fabrício de Araújo e a adjunta Flávia Previato comentaram sobre a importância dessa parceria com a Residência Pedagógica, pois liga os universitários do curso de pedagogia ao cotidiano escolar. “Estaremos sempre abertos a esse tipo de ação que colabora com o desenvolvimento de todos os envolvidos.”

Já a coordenadora do Programa, Silvana Bispo, explicou que a Residência Pedagógica visa contribuir com a formação de professores durante o curso de pedagogia com foco em alfabetização.

“Temos na Escola Municipal Joaquim Marques de Souza uma perceptora e cinco acadêmicas residentes do Curso de Pedagogia que participam de todo o processo de elaboração e planejamento das aulas. Hoje, estamos colhendo um pouco desse resultado, inclusive, o Cláudio foi aluno da UFMS e hoje ele estar aqui é uma realização”, explicou Silvana.

A professora que acolheu a ideia, Graciele Aparecida Terto Silva, explicou que acha imprescindível trabalhar a leitura, estamos no segundo ano e as crianças estão no processo de alfabetização.

“Com isso, no intuito de fazer com que eles fomentem a leitura na escola e em casa, pensamos em trabalhar um gênero textual que permitisse ser lido em ambos os lugares. Isso é importante, pois nessa idade já temos a avaliação de fluência leitora e isso é um estímulo para que essas crianças pratiquem a leitura no cotidiano delas”, enfatizou Graciele.

Já a residente Alana Magnoler vê nas ações da Residência Pedagógica a oportunidade de melhorar como pessoa e, principalmente, como profissional. “Em sala de aula, na Universidade, a gente trabalha a teoria e, aqui na residência, a gente vê a prática, algo muito maior, pois vivenciamos o contato com as crianças diariamente e isso faz a gente abrir os horizontes, dá um norte para como será a nossa rotina após a formação e com a ajuda dos professores saber lidar com determinadas situações que a teoria não tem condições de passar.”

O autor do livro, que foi o foco de todo o trabalho, mora em Três Lagoas há 15 anos e se sentiu extremamente lisonjeado com o momento. “Escrevi o livro durante o curso de pedagogia na UFMS, esse é o meu primeiro livro publicado. Esse contato com as crianças é muito importante pois incentiva a leitura e a se instruírem mais, incentiva o desenvolvimento delas. Estou muito feliz e lisonjeado com essa recepção.”

Receba Informações na Palma da Sua Mão