Três Lagoas

SOBREVOO! Crônicas de Marcio Ribeiro: A VOLTA DA CARESTIA!

O termo arcaico do título é só para reforçar que a História é cíclica e o que aconteceu há um tempo sempre retorna menos ou mais intenso, feito um boomerang do filme “Bagdad Cafe”. Olha a pandemia de volta após um século, feito aquela “persona non grata” que chega carregada de malas e badulaques, como num reality, para passar uma eternidade confinada ao seu lado…Em se tratando do custo de vida e da cesta básica do brasileiro nem tudo que sobe, desce… Por esses dias, o preço que sobe fica lá e não quer descer, não…

Permanece estagnado nas alturas compatível com as gôndolas gigantes recheadas de vitaminas e proteínas. É bonito de se ver as prateleiras e geladeiras do supermercado lotadas de variedades incalculáveis, feito uma máquina de assar frangos, a chamada “televisão de cachorro”, só que assistida por humanos… E o carrinho do cidadão segue desnutrido até o caixa enquanto a carteira de dinheiro padece de inanição…

Comenta-se que os preços dos alimentos estavam em um patamar abaixo das expectativas do mercado, mas que devido à praga virulenta aumentou o consumo interno, visto que o distanciamento das panelas é algo impensável para qualquer homo sapiens. Lei da oferta e da procura. E agora é cada um por si se virando com um salário mínimo (aquele sortudo que ainda detém um emprego) pra pagar aluguel, água, luz e ainda garantir o sustento da família…

Segundo os entendidos de estatísticas constatou-se o aumento da pobreza e da miséria, que não piorou ainda mais devido ao auxílio emergencial, que por sua vez era de seiscentão, caiu para trezentão e sabe lá para qual patamar vai “descer até o chão” após a eleição… Fechadas às urnas, computados os votos, vamos saber do humor e do grau da política social de nossos representantes para com o brasileiro…

Enquanto isso aumenta a plantação das chamadas commodities para satisfazer o mercado externo. E o preço do Milho, Arroz, Soja, Feijão, Carne e da Cana-de-açúcar fica ainda mais salgado para quem não é “Agro”, como você, um mero cidadão(ã) comum e trabalhador(a) igual a maioria que se debruça sobre a leitura deste texto.

Mas deixe estar. A líder da Agricultura já disse a que veio: o “boi bombeiro” vai invadir as áreas devastadas pelas chamas, no que antes era conhecido por Pantanal e haverá grande oferta de proteína animal à mesa da massa trabalhadora… Por sua vez, o responsável pelo Meio Ambiente tratou de pulverizar as matas, as nascentes os animais e a população ribeirinha com um produto químico venenoso chamado de “retardante” do fogo… Nesse “morde e assopra” cínico, o Brasil segue feito um boomerang do filme “Bagdad Cafe”, tão retardatário, retrógrado e cambaleante quanto à volta do termo “carestia”: quando parece que vai decolar encontra um obstáculo pelo caminho e despenca à estaca zero… Menos o preço da Cesta Básica que segue de vento em popa…

Crônica do escritor, poeta e servidor público municipal de Três Lagoas Marcio Ribeiro

OBSERVAÇÃO: A Crônica é um tipo de texto narrativo curto, possui também uma “vida curta”, ou seja, as crônicas tratam de acontecimentos corriqueiros do cotidiano que ‘chamam’ para a discussão de assuntos cotidianos.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios