BrasilDestaque

Barroso: Bolsonaro tem ‘dever cívico’ de mostrar prova de fraude na eleição

Segundo o presidente do TSE, a proposta de voto impresso para as eleições é uma ‘solução arriscada para um problema que não existe

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso, afirmou nesta quinta-feira (17/6) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem o “dever cívico” de apresentar provas que diz ter sobre uma suposta fraude nas eleições presidenciais de 2018.

“Nunca houve fraude documentada. Jamais. Apenas o pedido de auditoria solicitado pelo então candidato Aécio Neves e que não se apurou impropriedade porque não há. Se o presidente da República ou qualquer pessoa tiver provas (de fraude) tem o dever cívico de entregá-la ao Tribunal e estou com as portas abertas. O resto é retórica política, são palavras que o vento leva”, disse o ministro.

Segundo o ministro, a proposta de voto impresso para as eleições é uma “solução arriscada para um problema que não existe”.

Nos últimos meses, Bolsonaro vem falando para apoiadores que ganhou as eleições em primeiro turno. De acordo com ele, o pleito de 2018 foi fraudado para que Fernando Haddad (PT) tivesse a oportunidade de enfrentá-lo em segundo turno.

Em 2018, Bolsonaro foi eleito o 38º presidente da República com 57.797.847 votos (55,13% dos votos validos).

Com informações: EM

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios