DestaquePolicial

ESTADO: Depois de matar a sogra, assassino ganhou segunda chance da ex-mulher

Dezessete dias antes de ser assassinada com 19 facadas, Fabiana Lopes dos Santos, 37 anos, havia procurado a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) para registrar boletim de ocorrência contra o ex-marido Wantuir Sonchini da Silva, 43 anos. Na ocasião, ela contou que depois de sair por duas vezes com o ex, em outubro e novembro deste ano, passou a ser ameaçada de morte por ele. “Se você não voltar para mim, eu te mato”.

Em 2018, Wantuir havia matado a ex-sogra, Alzair Bernardo Lopes, 59 anos, mãe de Fabiana. Ele foi solto em setembro deste ano e voltou a se aproximar da ex. Conforme boletim de ocorrência registrado no dia 19 do mês passado, Fabiana contou que foi casada com o autor por 18 anos, com quem teve dois filhos, ambos menores de idade. Segundo depoimento dela à polícia, registrou várias ocorrências contra o autor, sendo a última em 2018 por ameaça, injúria e incêndio qualificado, ocasião em que solicitou medida protetiva e se separou dele.

Porém, depois que o ex saiu da cadeia, Fabiana chegou a se relacionar com o autor por duas vezes, mas se arrependeu. Ao mandar mensagem para Wantuir dizendo que não queria mais, o autor não aceitou a recusa para os demais encontros e, por esse motivo, ligou para a mulher e a ameaçou dizendo: “Se você não voltar pra mim, vou na delegacia mudar meu depoimento e dizer que você é a mandante da morte da sua mãe”.

Wantuir foi julgado no dia 15 de outubro do ano passado e considerado inimputável (Foto:  Henrique Kawaminami / arquivo)

No mesmo dia, segundo boletim de ocorrência, foram realizadas várias ligações, numa delas o autor voltou a fazer ameaças a ex-mulher. “Se você não voltar para mim, eu te mato”. Fabiana relatou durante depoimento que mesmo estando na delegacia, o ex não parava de ligar e mandar mensagem por WhatsApp. Na ocasião, ela fez prints das ligações e das mensagem. As cópias foram apreendidas e anexadas ao boletim de ocorrência.

Em razão das ameaças, relatou, estava sentindo-se perturbada e, por isso, havia procurado a delegacia da mulher para solicitar novas medidas protetivas, porém não tinha interesse em processar o ex criminalmente.

Caso – Fabiana foi morta na noite de sexta-feira (dia 4) a golpes de faca que a atingiram no ombro, tórax e um dos braços. O corpo foi encontrado na Rua Evelina Selingardi, a 300 metros da UTR (Usina de Triagem de Recicláveis). Testemunhas disseram que ela estava discutindo com o homem. O principal suspeito pelo crime é o ex. Ele está foragido e a Polícia Civil já pediu a prisão dele.

Julgamento – Wantuir foi julgado no dia 15 de outubro do ano passado, mas foi considerado inimputável pelos jurados, ou seja, não tinha condições plenas para ser responsabilizado pelos atos, por conta de transtorno mental. O juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, determinou como medida de segurança a internação do réu por um prazo mínimo de 1 ano.

Com informações: Campograndenews

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios