DestaqueTrês Lagoas

CORONAVÍRUS – Saúde de Três Lagoas alerta que maioria dos casos teve origem em festas particulares

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio do setor de Vigilância Epidemiológica da diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento, alerta à população de Três Lagoas que a maioria dos casos positivos da COVD-19 teve origem de contaminação em festas particulares, realizadas em domicílios ou ranchos de beira de rio.

O alerta vem do coordenador de Vigilância Sanitária e membro do Comitê Municipal de Enfrentamento à COVID-19, médico veterinário Christovam Tabox Bazan.

“São aglomerações de finais de semana, em casas e ranchos, onde as pessoas relaxam, não usam máscaras, se juntam a outras pessoas vindas de outras localidades, não mantêm distanciamento social. É destas reuniões familiares que tem surgido o maior número de casos da COVD-19”, alerta Christovam Bazan.

BOLETIM COVID-19 – Segundo consta no Boletim COVID-19, divulgado na manhã desta quarta-feira (06), Três Lagoas tem 96 novos casos confirmados e no Hospital Nossa Senhora Auxiliadora estão internadas 24 pessoas.

Desse total, 04 confirmadas em UTI pública, 08 em enfermaria pública, 04 em enfermaria privada e 02 pacientes em UTI privada.

Com os mais recentes números divulgados neste Boletim COVID-19, Três Lagoas chega a 26.549 notificações e destes, 4.665 foram confirmados positivos e 21.884 obtiveram resultado negativo.

Entre os positivos, 4.465 já se recuperaram da doença e, infelizmente, 61 pessoas morreram. Segundo também consta no Boletim COVID-19, o número de casos ativos da doença subiu para 1.103 pessoas.

Os Boletins Epidemiológicos da COVD-19, divulgados diariamente, podem ser consultados no portal da Prefeitura de Três Lagoas (www,treslagoas.ms.gov.br).

ALERTA DO AUMENTO DOS NÚMEROS – O médico de Família e Comunidade, atualmente lotado na equipe do setor da Vigilância Epidemiológica da SMS, Vinícius de Jesus Rodrigues Neves, voltou a alertar a população de Três Lagoas quanto ao perigo da expansão da COVD-19.

Ao ser questionado se as pessoas cansaram das medidas de prevenção e não acreditam mais no grave perigo da doença, o médico da Vigilância Epidemiológica observou que, “infelizmente, falta-nos liderança, especialmente, por parte do Governo Federal, porque a informação que a população realmente precisa não tem chegado às pessoas”.

Segundo o médico de Família e Comunidade, para os que esperam pela vacina, como única saída imunizante da COVD-19, já que o vírus tem perspectivas de se transformar endêmico entre nós, ele assim se pronunciou: “não apenas por estar se tornando endêmico, mas porque não existe tratamento para ele. Nenhuma medicação previne ou cura. Só vacina pode imunizar a população a fim de controlar o número de casos e evitar mais mortes”.

ORIENTAÇÕES – Por isso, segundo orientou o médico, diante da real situação de relaxamento das medidas de prevenção, que resulta no agravamento da doença e aumento dos casos positivos e mortes, a população precisa ser mais orientada com notícias sérias e fundamentadas, já que “é inundada por fake news e informações distorcidas, cabendo ao Poder Público mostrar qual o melhor caminho a ser seguido nesse momento”.

Entre as medidas de biossegurança, Vinícius Neves ressaltou a importância do isolamento social. “Ficar em casa, principalmente, se a pessoa estiver gripada ou se tiver tido contato com alguém gripado, mesmo que ainda não confirmado para COVID-19”, sem abandonar o uso de máscaras, higienização constante das mãos com água e sabão, uso de álcool gel e o distanciamento social, evitando ao máximo as aglomerações.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios